Arquivo da categoria: Papo sério

Roupa especial para crianças autistas

Quem não se encantou pelo texto do apresentador Marcos Mion sobre seu filho Romeo, que possui o TEA (Transtorno do Espectro Autista)?

Marcos Mion e Romeo

O texto que falava sobre o pedido de presente de Romeo ao Papai Noel comoveu milhares de seguidores nas redes sociais. E com razão, é uma belíssima história de amor, respeito e resignação.

Quem ainda não viu, pode conferir aqui: https://www.facebook.com/MarcosMionOficial/posts/994288967307244

Inspirada por todo esse amor é que eu trago esse post super interessante sobre uma roupa inovadora criada especialmente para essas crianças.

Roupa inovadora para criança autista

Por razões não inteiramente compreendidas, crianças com autismo podem desenvolver uma série de sensibilidades e interesses sensoriais. Entre as explicações possíveis está o fato de que crianças com menor capacidade de “entender a essência” podem ter menos interesse no significado geral ou em entender a figura inteira e, assim, sentir maior atração pelos detalhes ou experiências sensoriais. Além disso, elas acham que se concentrar em experiências sensoriais reduz sua ansiedade. Sentem-se à vontade ao agirem assim. Isso lhes permite evitar experiências que causam mais ansiedade, por exemplo, interagir com outros indivíduos.

Essas crianças podem demonstrar grande interesse por diversas texturas e acariciam roupas deliberada ou distraidamente. Outras podem ser muito sensíveis às etiquetas nas roupas e insistem que elas sejam removidas antes de vestir-se. Algumas não toleram certos tecidos e recusam-se a usar qualquer coisa feita com materiais sintéticos.
Algumas crianças com autismo ficam fascinadas com os sons do ambiente. Ao contrário de outras crianças, elas demonstram menos interesse no significado do som do que no próprio som. Procuram um ruído em determinado vídeo e o repetem várias vezes, ou gostam de manter o som em determinada altura; outras ficam fascinadas por ruídos domésticos como os da panela de pressão, exaustores, etc.

É muito comum criança com autismo temer, ao extremo, sons altos feitos por cortadores de grama, motores de helicóptero, aspiradores de pó, liquidificadores, trânsito pesado ou sinetas escolares. Na maioria dos casos, a reação instantânea da criança ao vê-los ou ouvi-los é levar as mãos aos ouvidos.

Uma pesquisa recente sugere que os estimulantes como a música, aromaterapia, texturizados e brinquedos podem ajudar a aliviar quem sofre com esse transtorno chamado de TPS (Transtorno de Processamento Sensorial).
Preocupado com isso, o designer Leo Chao criou uma peça de roupa tecnológica parecida com um capuz e um cachecol contendo botões que ao serem acionados podem ser experimentadas diferentes sensações.

A peça inclui alto-falantes no capuz para emitir música ou outros sons agradáveis que exercem efeito calmante quando colocado em torno das orelhas da criança. Já nos bolsos internos tem aromas e texturas que distraem e aliviam tensões.

Abaixo algumas fotos da criação:

Roupa para autista

Roupa especial para autista

 

Fontes: http://www.yankodesign.com/2009/03/19/a-hood-that-will-make-all-the-difference/

CONVIVENDO COM AUTISMO E SÍNDROME DE ASPERGER – CHRIS WILLIAMS E BARRY WRIGHT

 

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios

TOMS Shoes – Sapatos para um amanhã melhor!

Quando estava fazendo minhas pesquisas para o post sobre as espadrilles/alpargatas me deparei com uma história belíssima de solidariedade! E essas histórias enchem a gente de esperança nos dias de hoje, principalmente quando parte do mundo dos negócios…

Blake Mycoskie

Numa viagem à Argentina para aprender a jogar polo, o americano Blake Mycoskie ficou comovido com a triste realidade das crianças carentes da periferia que brincavam descalças porque não tinham dinheiro para comprar sapatos. O que vem depois mais parece roteiro de filme! Blake resolveu criar uma empresa de calçados, mais precisamente de alpargatas, a TOMS Shoes, cuja maior missão seria a responsabilidade social. Foi então que ele idealizou o sistema ONE FOR ONE (UM POR UM) onde a cada par de sapatos que fosse vendido, a empresa doaria um novo par a alguma criança carente ao redor do mundo.

Blake Mycoskie

Blake Mycoskie

Blake Mycoskie

Segundo Blake a ideia deu certo porque as pessoas sentem que não estão pagando apenas por um par de sapatos, mas sim estão fazendo algo para mudar o mundo. Com isso, a empresa já doou mais de 1 milhão de sapatos entre países como: Argentina, Peru, Guatemala, Haiti, África do Sul, China, Ruanda, Etiópia, Uganda, Estados Unidos, etc. E o melhor de tudo é que os sapatos continuam sendo fornecidos a medida que as crianças crescem.

Blake Mycoskie

Essa história não para por aí! Em 2011, Blake fundou a Toms Eyewear com o objetivo de salvar e restaurar a visão de adultos ou crianças necessitadas, usando o mesmo sistema criado anteriormente, o Um por Um: a cada óculos vendido, uma pessoa carente que não tem acesso a um oftalmologista, passa por uma consulta que vai dizer se ela precisa de lentes corretivas, tratamento ou até mesmo, cirurgia. O mesmo acontece com as vendas do livro dele, o Star Something that Matters, a cada venda, outro livro é doado a uma criança carente.

O site da TOMS é o www.toms.com, mas a marca não vende só alpargatas, tem vários tipos de calçados e outros acessórios.

Alpargatas TomsAlpargatas Toms

É ou não é uma história belíssima?

Roupinhas adaptadas para usuários de suspensório de Pavlik – ideia de uma mãe empreendedora!

Não é de hoje que ouço falar que as mães estão se tornando grandes empreendedoras! No Brasil já são mais de 7,2 milhões de mulheres, de acordo com um estudo do Sebrae publicado em 2014. Todo dia surge um novo caso espetacular na mídia, como o da americana Melissa Kieling, mãe de três filhos, dona de uma empresa de US$15 milhões!!! Veja aqui: http://revistacrescer.globo.com/Curiosidades/noticia/2015/08/mae-solteira-com-13-dolares-no-banco-cria-uma-empresa-de-us-15-milhoes.html

Ela acha que a maternidade prepara melhor uma mulher para começar um negócio do que qualquer educação formal. E que a mãe navega por territórios desconhecidos, a partir do momento que tem seu primeiro filho. Quando li esse depoimento logo lembrei de um caso muito interessante que quero compartilhar com vocês: o da Bia, mãe da Helena, pois acho que pode ajudar muita gente que passa pelo mesmo problema que ela passou.

Ao nascer, a Helena foi diagnosticada com displasia do quadril, uma alteração no encaixe da articulação que acomete, principalmente bebês pélvicos(bebês sentados). O tratamento consiste em usar um suspensório, o suspensório de Pavlik, que mantém as pernas do bebê na melhor posição de encaixe do quadril, a fim de estabilizá-lo. Inicialmente o uso é por 24 h, sem tirar para o banho e geralmente a duração do tratamento é de 6 a 12 semanas, dependendo da evolução.

Bebê usando o suspensório de Pavlik:Suspensório de Pavlik
O suspensório restringe um pouco os movimentos, mas isso é necessário para a estabilidade do quadril ser alcançada. Seu uso é indolor, mas mesmo assim as mães acabam ficando angustiadas pensando na melhor forma de deixar o bebê protegido e confortável. Foi assim que a Bia teve a ideia de criar a Turma da Lelê, que confecciona roupinhas adaptadas para aqueles que usam o suspensório de Pavlik e tem a missão de tornar a vida desses bebês mais feliz e agradável, desenvolvendo produtos que atendam suas necessidades específicas. 

As peças foram pensadas de forma a não atrapalharem o tratamento com o suspensório, já que não estarão forçando o fechamento das perninhas, como nas roupas comuns.

Os bodies possuem uma abertura maior para as perninhas a fim de dar mais conforto e mobilidade. Todos tem golas para evitar que as tiras do suspensório machuquem o pescoço do bebê.

Body manga curta                                                  Body manga longa

Body para suspensório de PavlikBody

As calças foram desenvolvidas para serem utilizadas sobre o suspensório, ajudando a preservá-lo evitando que ele se suje ou se desgaste com o tempo. Tem uma abertura lateral que facilita a troca de roupa.

Calça                                                                      Macacão

Calça para suspensório de PavlikMacacão para suspensório de Pavlik

Polainas

Polaina para suspensório de PavlikPolaina para suspensório de Pavlik


Papo sério: Segurança das roupas das crianças

Segurança de roupas infantis

Nós pais estamos sempre atentos e cautelosos em relação aos acidentes que podem acontecer com os nossos filhos. Em se tratando das roupas, a preocupação não deve ser diferente, pois podem ocorrer desde pequenos acidentes até acidentes fatais, como estrangulamento e sufocamento.

ABNT, Associação Brasileira de Normas Técnicas, acaba de criar uma norma para tornar as roupas das crianças mais seguras.

O Fantástico abordou o tema numa reportagem do dia 03/05/2015 alertando para esse assunto, contando com a participação de Rafael Cervone, da Associação Brasileira de Indústria Têxtil e Confecção e de Gabriela de Freitas, da ONG Criança Segura.

Veja a reportagem na íntegra:

http://glo.bo/1GJFPsu